A minha ironia em stand by

A escrita, para mim, sempre foi uma atividade essencialmente cerebral. Até mesmo na prática de gêneros textuais como o poema, quase sempre entregues às mediações do afeto, quase sempre envoltos por grandes sentimentos e dicotomias humanas. Em meus escritos, é difícil encontrar temáticas, como; amor, ódio, felicidade, angústia, alegria, tristeza, solidão. Quando me perguntam: "O … Continue lendo A minha ironia em stand by

Anúncios

Política em 2018 (a ascensão da heroína)III

A mulher franzina atravessou o corredor a passos curtos. Levantou-se mesmo antes de ser chamada, cumprimentou alguns candidatos, jogou um beijo para a recepcionista. —Bom dia, Marina! —Bom dia! —Há quanto tempo não nos vemos? —Acho que já faz uns quatro anos, não é? —Você some! —Eu tenho muitos afazeres! Mas sempre que eu posso, … Continue lendo Política em 2018 (a ascensão da heroína)III

Política em 2018 (a ascensão do herói) II

—Próximo! —Por favor, senhor Fernando? O homem parecia não ouvir ao chamado, então a recepcionista pediu à moça ao lado que o cutucasse. — Este? Apontou para um rapaz. —Não! Esse aí de capa vermelha! Muito educado, o homem se levantou, agradeceu e já foi logo perdoando a mulher da recepção por tê-lo chamado muito … Continue lendo Política em 2018 (a ascensão do herói) II

Política em 2018 (a ascensão do herói)

—O homem bem trajado dirige-se à portaria do prédio, onde cumprimenta uma mulher e informa ao controlador de acesso —­­tenho uma entrevista no quinto andar. Acesso liberado. O entrevistador o espera na sala à direita, informou a moça da recepção. —Bom dia. —Bom dia. Sentou-se. —Jair? Correto? —Sim, sou eu mesmo. —O senhor é candidato … Continue lendo Política em 2018 (a ascensão do herói)

Mesa de bar (paixão)

—Tá decidido, este ano eu vou me apaixonar. Um fulano riu copiosamente.— Paixão  em essência, é descuido. É uma falha de anticorpos. Não existe isso de decidir se apaixonar. É como desordem planejada: não confunde de maneira genuína.— blábláblá... Eu por exemplo, me apaixono sempre que posso: no trabalho, no parque, no transporte público...vejo uma … Continue lendo Mesa de bar (paixão)

Rincon Sapiência e a retomada do discurso negro (discurso, logo existo)

“quente que nem a chapinha no crespo, não/ crespos estão se armando/faço questão de botar no meu texto/ que pretas e pretos estão se amando...” Tudo que envolve identificação e expressão de matriz africana, sofreu (e sofre) imensa represália. A proporção e a maleficência desta campanha de abnegação cultural são gigantescas! E podemos facilmente encontrar … Continue lendo Rincon Sapiência e a retomada do discurso negro (discurso, logo existo)

Acessibilidade a arte: para além da entrada franca.

Capturei esta moça contemplando um quadro na exposição "Mugrabi", com obras do Basquiat no CCBB. Não houve consentimento, mas ela não se irritou, pois tive o decoro criminoso de não deixá-la perceber a ação. O que me levou a tirar a foto, foi a curiosidade de saber o que se passava em sua cabeça diante … Continue lendo Acessibilidade a arte: para além da entrada franca.